Questões Éticas na Gestão de Recursos Humanos

Questões Éticas na Gestão de Recursos Humanos



Os Gerentes de Recursos Humanos se esforçam para contratar candidatos que se encaixam na cultura de uma organização.

Eles também devem estar atentos à diversidade e à igualdade de oportunidades, bem como às práticas tradicionais e legais de contratação.

Em suma, a cultura de uma organização pode estar em desacordo com o que é a melhor coisa a fazer para os gerentes de RH.

Conforme o conflito surge, o gerente de RH deve ser capaz de resolver conflitos entre as demandas da cultura da empresa e as do comportamento ético.

Principais questões em gestão ética

Algumas das principais questões com as quais uma organização lida, são lidar com desafios éticos na diversidade da força de trabalho.

A seguir estão alguns dos principais desafios éticos que uma organização enfrenta no gerenciamento ético:

Prejudicar alguns enquanto beneficia os outros

Os gerentes de RH fazem grande parte da triagem enquanto o processo de contratação ainda está em andamento.

Por sua própria natureza, a triagem deixa algumas pessoas de fora e permite que outras pessoas sigam adiante.

Em suma, os que ficaram de fora serão afetados por não conseguir o emprego, não importa o quanto precisem.

Os gerentes de RH podem negligenciar o emocionalismo de tais situações aderindo estritamente aos conjuntos de habilidades e outras necessidades do cargo, mas sempre haverá uma área cinzenta onde os gerentes de RH podem dimensionar o quanto cada candidato deseja, e precisa do emprego.

Oportunidade igual

Os gerentes de RH devem monitorar regularmente as práticas de contratação da empresa para garantir que não haja discriminação no processo de contratação com base em etnia, orientação sexual, raça, religião e deficiência.

No entanto, o simples cumprimento das diretrizes da Comissão de Oportunidades Iguais de Emprego, não garante um comportamento ético.

Por exemplo, se um gerente de RH recomendar um candidato para preencher uma cota, essa decisão será antiética, pois removerá outros candidatos que possam ser mais qualificados.

Privacidade

A privacidade é sempre um assunto delicado para um gerente de RH.

Embora a cultura de uma empresa possa ser amigável e aberta e motiva os funcionários a discutir livremente os detalhes pessoais e os estilos de vida, o gerente de RH tem a obrigação ética de manter esses assuntos privados.

Isso entra especificamente em jogo quando a empresa concorrente solicita uma referência sobre um funcionário.

Para permanecer ético, os gerentes de RH devem obedecer aos detalhes relacionados ao trabalho e deixar de lado o conhecimento da vida pessoal de um funcionário.

Compensação e Competências

Gerentes de RH podem sugerir compensação.

Embora essas recomendações possam ser baseadas em uma faixa salarial para cada cargo, os dilemas éticos surgem quando se trata de compensar os empregados de maneira diferente pelas mesmas habilidades.

Por exemplo, um executivo muito procurado pode negociar um salário mais alto do que alguém que está na empresa há vários anos.

Isso pode se tornar um problema ético quando o funcionário mal-pago interpreta como uma discrepância e questiona se esta decisão foi baseada em características como gênero e raça.

Os departamentos de recursos humanos devem lidar com uma série de questões éticas e legais, desde os regulamentos da EEOC até os princípios e práticas de organizações como o IGP – INSTITUTO DE GESTÃO DE PESSOAS.

Custos de mão de obra

O RH deve lidar com necessidades conflitantes para manter os custos de mão-de-obra o mais baixos possíveis e ainda praticar salários justos.

A ética entra em ação quando o RH precisa escolher entre terceirizar mão de obra para Estados ou Cidades com salários mais baixos e condições de vida mais duras ou pagar salários competitivos.

Embora não exista nada de ilegal na terceirização de mão-de-obra, essa questão tem o potencial de criar um problema de relações públicas se os consumidores fizerem objeções ao uso de trabalhadores mal pagos para economizar dinheiro.

Oportunidade de novas habilidades

Se o departamento de RH der prioridade para quem recebe treinamento, ele pode se deparar com questões éticas.

Como o treinamento é uma oportunidade de desenvolvimento e oportunidades ampliadas, os funcionários que são deixados fora do treinamento podem reclamar que não estão recebendo oportunidades iguais no local de trabalho.

Contratação justa e rescisão justificada

As decisões de contratação e rescisão devem ser tomadas sem considerar a etnia, raça, sexo, preferência sexual ou crenças religiosas.

O RH deve tomar precauções para eliminar qualquer influência no processo de contratação e demissão, certificando-se de que tais ações atendem a critérios estritos de negócios.

Condições de trabalho justas

Espera-se basicamente que as empresas ofereçam condições de trabalho justas para seus funcionários no ambiente de negócios, mas ser responsável pelo tratamento de funcionários normalmente significa custos mais altos de mão-de-obra e utilização de recursos.

Pagamento justo e benefícios para o trabalhador são fatores mais óbvios de um ambiente de trabalho justo.

Outro fator importante é a provisão de um ambiente de trabalho não discriminatório, que novamente pode ter custos envolvidos na gestão da diversidade e treinamento.

Agora está bem claro que enquanto trabalhamos em uma organização, nos deparamos com pessoas com diferentes origens, crenças culturais e precisamos respeitar suas crenças.

No caso de um funcionário se sentir excluído devido a algum problema, ele pode não trabalhar a favor da organização e ter sua produção prejudicada.




Clique em PRÓXIMA AULA abaixo para continuar este curso e receber um Certificado Digital gratuitamente ao concluir

CADASTRE-SE AGORA em nosso canal de Cursos em Vídeos no YOUTUBE para receber novos Cursos em primeira mão – youtube.com/c/GynCursosOnline

 
gyncursos.com.br © Desenvolvido por GYN SITES