História do ramo hoteleiro


Sabe-se da existência do mercador – em busca de produtos e clientes – e dos romeiros e do aventureiro – em busca de lugares exóticos. Para vocês, esses homens têm algo em comum? Sem dúvida. Pode-se observar que o que há em comum entre eles é a vontade, o desejo de ultrapassar as fronteiras, a curiosidade de conhecer o novo. Com esses desejos, molda-se a mola propulsora do turismo através dos tempos.

Como tudo isso começou? Torna-se difícil explicar esse início, tendo em vista o fato de haver autores que acreditam ter o turismo começado com os povos primitives, na pré-história. Nessa época, eles viajavam até o mar e retornavam.

Nas longas viagens marítimas dos fenícios, também pode existir algum olhar turístico, pois os inventores do comércio e da moeda, assim como as caravanas dos povos mesopotâmicos (sumérios, babilônios, assírios), atravessavam as regiões áridas do Oriente Médio, dando início à hospitalidade. Com essa vida nômade, sempre havia uma tenda pronta para receber as pessoas. O que inspira todas as pessoas que entram nesse caminho? Paixão. A hotelaria é um segmento de mercado aliado ao turismo, a qual acopla lazer ou negócios.

Para muitos que trabalham no ramo hoteleiro, este torna-se um vício. Diante de tantos apaixonados e de milhares de hotéis que se multiplicam em todo o mundo, surgiu o seguinte questionamento: de onde vem a hotelaria e como ela começou no Brasil?

A partir de 1407, a França começou a exigir mais segurança e registro dos hóspedes. Em 1561, começou a cobrança de tarifas. De 1750 a 1820, na Inglaterra, serviços como limpeza e alimentação passaram a ser vistos como uma gentileza, passando a ser atraentes para as hospedagens.

Em 1870, César Ritz investiu no banheiro privativo, na harmonia dos colabo- radores e construiu um empreendimento em Paris. O velho continente viu surgir os primeiros estabelecimentos que, no futuro, seriam chamados de hotéis.

O termo hostel começou a ser utilizado para designar palacetes onde reis e nobres se hospedavam na época do Império Romano. Conta-se que os primeiros registros de hospedagens no mundo vêm do século VI a.C., em que comerciantes, quando viajavam entre a Europa e o Oriente, ficavam em casas ou quartos alugados. Em um único espaço poderiam dormir várias pessoas, o que nos lembra os famosos albergues da juventude, na atualidade.

No Brasil, a hotelaria nasceu da mesma forma que na Europa, por iniciativa dos portugueses, ainda que, em solo brasileiro, as pessoas tenham começado a receber viajantes em suas próprias casas. Os ilustres viajantes, no período colonial, ficavam hospedados em colégios e mosteiros como o Mosteiro de São Bento, no Rio de Janeiro.

Mosteiro de São Bento- Rio de Janeiro.




 
gyncursos.com.br © Desenvolvido por GYN SITES