A Ascensão do Google Panda


chegada do panda
A Ascensão do Google Panda

A partir de fevereiro de 2011, o Google começou a lançar o que seria uma série de atualizações de mudanças projetadas para eliminar websites com conteúdo de baixa qualidade técnica, utilização de spam, SEOs de black-hat e qualquer página da web que usasse as falhas do algoritmo para obter um ranking de pesquisa que não merecia.

A maioria dos sites foi atingido severamente em termos de sua visibilidade de SEO, eram sites sem muito conteúdo que eram muito dependentes dos mecanismos de pesquisa para gerar tráfego e receita, o que talvez seja o motivo de que outro nome para a atualização do Panda fosse ‘Fazendeiro’.

A atualização do Google Panda fez manchetes não apenas no mundo do SEO, mas a internet como um todo, indo no extremo de forçar sites de milhões de dólares a uma grande queda em seus negócio da noite para o dia ou ficar a beira da falência e, literalmente, ser forçado a repensar suas práticas e modelos de negócios .

Em suas próprias palavras, o Google queria restaurar os sites legítimos de de alta qualidade e livrar-se do que eles chamam de sites “finos” que estavam aproveitando técnicas inteligentes de SEO e lacunas nos algoritmos; que continha conteúdo sub-padrão, estavam cheios de publicidade intrusiva e irrelevante, tinham interfaces de usuário feias e não trouxeram nenhum valor real para a internet.

Alguns exemplos reveladores do tipo de sites que o Google estava buscando desmascarar quando lançou a primeira atualização do Panda são www.ezinearticles.com e www.hubpages.com entre uma dúzia de outros exemplos.

Os primeiro site era na época dedicados a links agrícolas através da hospedagem de artigos de marketing de má qualidade escritos por razões puramente SEO, em vez de qualquer valor de conteúdo ou o benefício dos usuários e são notórios por ignorar as regras contra spam de marketing nas peças informativas.



O CEO do segundo site citado, a HubPages, admitiu após a atualização do Google Panda, em franqueza surpreendente que mantinham um modelo de negócios baseado em SEO, eles estavam seguindo o pré-Panda e que a administração claramente incentivou os autores de conteúdo a focalizar mas nos motores de busca em vez de produzir conteúdo relevantes para usuários sem ter qualquer valor informativo. Por fim, esses sites também continham uma vasta e esmagadora quantidade de publicidade saturada que abrangia uma grande parte da interface do usuário.

Embora o Google tem feito mudanças em seu algoritmo de forma muito regular, com a freqüência aumentando para 500-600 mudanças por ano, a maioria, senão todas essas alterações, foram menores em comparação com o que começou em fevereiro de 2011, e elas não tiveram um impacto significativo no tráfego e na receita de sites que eram profundamente dependentes do Google para sua sobrevivência.

Compare isso com os vinte sites mais importantes no barco perdedor pós-Panda, que perdeu a visibilidade de SEO, que variou de um mínimo de 65%  de perda até 91% na visibilidade dos resultados das pesquisas.

Apenas dois sites(citados acima) de uma lista assustadora dos perdedores afetados foram capazes de conseguir recuperar a perda de acesso de usuários, enquanto o resto continuou a cair em sua visibilidade, tráfego e receitas de SEO, mesmo sem poder retornar à posição que ocupavam antes do Panda, já que sua descida para SERP o esquecimento não cessou.

Após a primeira atualização do Panda, o Google continuou aprimorando as reformas nos algoritmos que iniciou em fevereiro de 2011 ao lançar mais atualizações do Panda, sendo o Panda 4.0 a partir de setembro de 2016 a última atualização conhecida. Também foi anunciado que a Panda tornou-se oficialmente parte do algoritmo de ranking principal do Google. Paralelo às atualizações do Panda, o Google lançou algumas outras mudanças em seus algoritmos de classificação com o Google Penguin e a atualização do EMD.

Tendo analisado uma breve história da revolução na publicação de SEO e internet causada pelas ondas de choque de uma série de atualizações nos algoritmos do Google, vejamos em detalhes na próxima aula o que essas mudanças nos algoritmos realmente são, como eles afetam os sites e o que eles significam para você se você é um profissional de SEO, proprietário do site ou um negócio online.



 
gyncursos.com.br © Desenvolvido por GYN SITES