A Arte de Fazer Perguntas

A Arte de Fazer Perguntas



Muitas pessoas evitam apresentar suas dúvidas quando elas aparecem. Elas acham que fazer perguntas criaria uma má impressão nas outras pessoas que elas são desinformados, intrusivas ou incômodas.

Embora existam certas situações em que é melhor deixar de fazer suas perguntas, fazer perguntas não é uma atividade desdenhosa em si.

Pelo contrário, você poderia muito bem concordar comigo que nós, seres humanos, podemos atribuir o que aprendemos e toda a nossa curva de aprendizado à nossa propensão de fazer perguntas.

Como dizia alguém: Não são as respostas que movem o mundo e sim as perguntas!”

O segredo está em buscar respostas objetivas com as quais a pessoa possa se conectar e identificar o pensamento por trás da pergunta.

As perguntas podem ser classificadas em duas categorias:

  • Perguntas abertas– Essas perguntas também são conhecidas como “Perguntas frequentes”, já que geralmente são precedidas por “quem, quando, onde, o que, como e por quê”.
    Ao responder a essas perguntas, as pessoas tendem a se concentrar mais em dar respostas descritivas.
    Exemplo de pergunta aberta: “Por que você achou que essa foi a melhor decisão da sua vida?”

  • Perguntas fechadas– Essas perguntas podem ser facilmente respondidas em poucas palavras, mesmo com um simples ‘sim’ ou ‘não’.
    Eles são solicitados a obter uma resposta rápida do ouvinte sobre fatos e números.
    O ouvinte tende a colocar mais ênfase em sua memória em comparação com o processamento de pensamentos ao responder a essas perguntas.
    Exemplo de pergunta fechada: “Você é um cidadão residente deste país?



Clique em PRÓXIMA AULA abaixo para continuar este curso e receber um Certificado Digital gratuitamente ao concluir

CADASTRE-SE AGORA em nosso canal de Cursos em Vídeos no YOUTUBE para receber novos Cursos em primeira mão – youtube.com/c/GynCursosOnline

 
gyncursos.com.br © Desenvolvido por GYN SITES